terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Deusa Serena


Deusa Serna, de João da Cruz e Sousa. Seus poemas são marcados pela musicalidade (uso constante de aliterações), pelo individualismo, pelo sensualismo, às vezes pelo desespero, às vezes pelo apaziguamento, além de uma obsessão pela cor branca (Wikipedia)

Deusa Serena


DEUSA SERENA


 Espiritualizante Formosura
 Gerada nas Estrelas impassíveis,
 Deusa de formas bíblicas, flexíveis,
 Dos eflúvios da graça e da ternura.

 Açucena dos vales da Escritura,
 Da alvura das magnólias marcesáveis,
 Branca Via-Láctea das indefiníveis
 Brancuras, fonte da imortal brancura.

 Não veio, é certo, dos pauis da terra
 Tanta beleza que o teu corpo encerra, 
 Tanta luz de luar e paz saudosa...

 Vem das constelações, do Azul do Oriente,
 Para triunfar maravilhosamente
 Da beleza mortal e dolorosa! 

Cruz e Sousa
Broquéis



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top
Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade