quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Afra, de Cruz e Sousa


Afra, de Cruz e Sousa. No aspecto de influências do simbolismo, nota-se uma amálgama que conflui águas do satanismo de Charles Baudelaire ao espiritualismo (Wikipedia)

Afra, de Cruz e Sousa



AFRA


 Ressurges dos mistérios da luxúria,
 Afra, tentada pelos verdes pomos,
 Entre os silfos magnéticos e os gnomos
 Maravilhosos da paixão purpúrea.

 Carne explosiva em pólvoras e fúria
 De desejos pagãos, por entre assomos
 Da virgindade - casquinantes momos
 Rindo da carne já votada à incúria.
 Votada cedo ao lânguido abandono,
 Aos mórbidos delíquios como ao sono,
 Do gozo haurindo os venenosos sucos.

 Sonho-te a deusa das lascivas pompas,
 A proclamar, impávida, por trompas,
 Amores mais estéreis que os eunucos! 

Cruz e Sousa
Broquéis


Por Literatura em Série

Veja também:


Compartilhe nas Redes Sociais!
compartilhe compartilhe compartilhe compartilhe


Observação:
Ressalvados os casos indicados ao contrário, as obras aqui publicadas tem como fonte material em Domínio Público, sendo obras livres em razão de alguma das hipóteses previstas na Lei de Direitos Autorais Lei Federal nº 9.610/98. Busca-se preservar ao máximo a grafia original. Para mais informações confira os Termos de Uso.


Blog especializado em Literatura com fins educativos. Principais temas abordados: literatura universal, literatura nacional, escritores, poemas literarios, livros e autores da literatura brasileira. Sugerido para elaboração de resumo e resenha.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.