domingo, 28 de janeiro de 2018

Braços, de Cruz e Sousa


Braços, de Cruz e Sousa. Em 1885, lançou o primeiro livro, Tropos e Fantasias em parceria com Virgílio Várzea. Cinco anos depois foi para o Rio de Janeiro.
Braços, de Cruz e Sousa


BRAÇOS 


 Braços nervosos, brancas opulências,
 Brumais brancuras, fúlgidas brancuras,
 Alvuras castas, virginais alvuras,
 Lactescências das raras lactescências.

 As fascinantes, mórbidas dormências
 Dos teus abraços de letais flexuras,
 Produzem sensações de agres torturas,
 Dos desejos as mornas florescências.

 Braços nervosos, tentadoras serpes
 Que prendem, tetanizam como os herpes,
 Dos delírios na trêmula coorte...

 Pompa de carnes tépidas e flóreas,
 Braços de estranhas correções marmóreas,
 Abertos para o Amor e para a Morte! 


Cruz e Sousa
Broquéis


Por Literatura em Série

Veja também:


Compartilhe nas Redes Sociais!
compartilhe compartilhe compartilhe compartilhe


Observação:
Ressalvados os casos indicados ao contrário, as obras aqui publicadas tem como fonte material em Domínio Público, sendo obras livres em razão de alguma das hipóteses previstas na Lei de Direitos Autorais Lei Federal nº 9.610/98. Busca-se preservar ao máximo a grafia original. Para mais informações confira os Termos de Uso.


Blog especializado em Literatura com fins educativos. Principais temas abordados: literatura universal, literatura nacional, escritores, poemas literarios, livros e autores da literatura brasileira. Sugerido para elaboração de resumo e resenha.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.