sábado, 24 de fevereiro de 2018

A Dor

A Dor, de Cruz e Sousa. Nas obras de João da Cruz e Sousa é certo que encontram-se muitas referências à cor branca, assim como à transparência, à translucidez, à nebulosidade e aos brilhos, e a muitas outras cores, todas sempre presentes em seus versos (Wikipedia)



A Dor, de Cruz e Sousa.


A DOR

 Torva Babel das lágrimas, dos gritos,
 Dos soluços, dos ais, dos longos brados,
 A Dor galgou os mundos ignorados,
 Os mais remotos, vagos infinitos.

 Lembrando as religiões, lembrando os ritos,
 Avassalara os povos condenados,
 Pela treva, no horror, desesperados,
 Na convulsão de Tântalos aflitos.

 Por buzinas e trompas assoprando
 As gerações vão todas proclamando
 A grande Dor aos frígidos espaços...

 E assim parecem, pelos tempos mudos,
 Raças de Prometeus titânios, rudos,
 Brutos e colossais, torcendo os braços! 


Cruz e Sousa
Broquéis



Por Literatura em Série

Veja também:


Compartilhe nas Redes Sociais!
compartilhe compartilhe compartilhe compartilhe


Observação:
Ressalvados os casos indicados ao contrário, as obras aqui publicadas tem como fonte material em Domínio Público, sendo obras livres em razão de alguma das hipóteses previstas na Lei de Direitos Autorais Lei Federal nº 9.610/98. Busca-se preservar ao máximo a grafia original. Para mais informações confira os Termos de Uso.


Blog especializado em Literatura com fins educativos. Principais temas abordados: literatura universal, literatura nacional, escritores, poemas literarios, livros e autores da literatura brasileira. Sugerido para elaboração de resumo e resenha.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.