sábado, 24 de fevereiro de 2018

Poema Carnal e Místico

Poema Carnal e Místico. João da Cruz e Sousa no aspecto de influências do simbolismo, nota-se uma amálgama que conflui águas do satanismo de Charles Baudelaire ao espiritualismo (e dentro desse, ideias budistas e espíritas) ligados tanto a tendências estéticas vigentes como as fases na vida do autor (Wikipedia).


Poema Carnal e Místico




CARNAL E MÍSTICO



 Pelas regiões tenuíssimas da bruma
 Vagam as Virgens e as Estrelas raras...
 Como que o leve aroma das searas
 Todo o horizonte em derredor perfuma.

 Numa evaporação de branca espuma
 Vão diluindo as perspectivas claras...
 Com brilhos crus e fúlgidos de tiaras
 As Estrelas apagam-se uma a uma.

 E então, na treva, em místicas dormências,
 Desfila, com sidéreas lactescências,
 Das Virgens o sonâmbulo cortejo...

 Ó Formas vagas, nebulosidades!
 Essência das eternas virgindades!
 Ó intensas quimeras do Desejo...


Cruz e Sousa
Broquéis


Por Literatura em Série

Veja também:


Compartilhe nas Redes Sociais!
compartilhe compartilhe compartilhe compartilhe


Observação:
Ressalvados os casos indicados ao contrário, as obras aqui publicadas tem como fonte material em Domínio Público, sendo obras livres em razão de alguma das hipóteses previstas na Lei de Direitos Autorais Lei Federal nº 9.610/98. Busca-se preservar ao máximo a grafia original. Para mais informações confira os Termos de Uso.


Blog especializado em Literatura com fins educativos. Principais temas abordados: literatura universal, literatura nacional, escritores, poemas literarios, livros e autores da literatura brasileira. Sugerido para elaboração de resumo e resenha.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.