domingo, 25 de fevereiro de 2018

Poema Torre de Ouro, de Cruz e Sousa

Poema Torre de Ouro, de Cruz e Sousa. Segundo Antonio Candido, Cruz e Sousa foi o "único escritor eminente de pura raça negra na literatura brasileira, onde são numerosos os mestiços" (Wikipedia).


Poema Torre de Ouro, de Cruz e Sousa




TORRE DE OURO


 Desta torre desfraldam-se altaneiras,
 Por sóis de céus imensos broqueladas,
 Bandeiras reais, do azul das madrugadas
 E do íris flamejante das poncheiras.

 As torres de outras regiões primeiras
 No Amor, nas Glórias vãs arrebatadas,
 Não elevam mais alto, desfraldadas,
 Bravas, triunfantes, imortais bandeiras.

 São pavilhões das hostes fugitivas,
 Das guerras acres, sanguinárias, vivas,
 Da luta que os Espíritos ufana.

 Estandartes heróicos, palpitantes,
 Vendo em marcha passar aniquilantes
 As torvas catapultas do Nirvana! 


Cruz e Sousa
Broquéis



Por Literatura em Série

Veja também:


Compartilhe nas Redes Sociais!
compartilhe compartilhe compartilhe compartilhe


Observação:
Ressalvados os casos indicados ao contrário, as obras aqui publicadas tem como fonte material em Domínio Público, sendo obras livres em razão de alguma das hipóteses previstas na Lei de Direitos Autorais Lei Federal nº 9.610/98. Busca-se preservar ao máximo a grafia original. Para mais informações confira os Termos de Uso.


Blog especializado em Literatura com fins educativos. Principais temas abordados: literatura universal, literatura nacional, escritores, poemas literarios, livros e autores da literatura brasileira. Sugerido para elaboração de resumo e resenha.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.