quarta-feira, 21 de março de 2018

Fé, de Machado de Assis.

Fé, de Machado de Assis. Sua obra foi de fundamental importância para as escolas literárias brasileiras do século XIX e do século XX e surge nos dias de hoje como de grande interesse acadêmico e público
Fé, de Machado de Assis.


 (1863)

Mueve-me*
 enfin tu amor de tal manera
Que aunque no hubiera cielo yo te amara.
 SANTA THEREZA DE JESUS

 As orações dos homens
Subam eternamente aos teus ouvidos;
Eternamente aos teus ouvidos soem
 Os cânticos da terra.

    No turvo mar da vida,
Onde aos parcéis do crime a alma naufraga,
A derradeira bússola nos seja,
    Senhor, tua palavra.

   A melhor segurança
Da nossa íntima paz, Senhor, é esta;
Esta a luz que há de abrir à estância eterna
   O fulgido caminho.

   Ah ! feliz o que pode,
No extremo adeus às cousas deste mundo,
Quando a alma, despida de vaidade,
   Vê quanto vale a terra;

   Quando das glórias frias
Que o tempo dá e o mesmo tempo some,
Despida já, — os olhos moribundos
   Volta às eternas glórias;

   Feliz o que nos lábios,
No coração, na mente põe teu nome,
E só por ele cuida entrar cantando
   No seio do infinito.

*
 Conforme o original, embora a grafia correta devesse ser mueveme

Machado de Assis
Crisálidas

Leia também: Um Apólogo de Machado de Assis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top
Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade