quinta-feira, 12 de abril de 2018

ERRO, de Machado de Assis.

ERRO, de Machado de Assis.  Foi um escritor brasileiro, considerado por muitos críticos, estudiosos, escritores e leitores um dos maiores senão o maior nome da literatura do Brasil.

ERRO, de Machado de Assis.


ERRO

 (1860)


Vous . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Qui des combats du coeur n’aimez que la victoire
Et qui revëz d’amour, comme on rève de glore,*
 L’oeil fier et non voilé des pleurs. . . . . .
 GEORGE FARCY


Erro é teu. Amei-te um diaCom esse amor passageiroQue nasce na fantasiaE não chega ao coração;Nem foi amor, foi apenasUma ligeira impressão;Um querer indiferente,Em tua presença vivo,Nulo se estavas ausente.E se ora me vês esquivo,Se, como outrora, não vêsMeus incensos de poetaIr eu queimar a teus pés,É que, — como obra de um dia,Passou-me essa fantasia.

Para eu amar-te deviasOutra ser e não como eras.Tuas frívolas quimeras,Teu vão amor de ti mesma,Essa pêndula geladaQue chamavas coração,Eram bem fracos liamesPara que a alma enamoradaMe conseguissem prender;Foram baldados tentames,Saiu contra ti o azar,E embora pouca, perdesteA glória de me arrastarAo teu carro...Vãs quimeras!Para eu amar-te deviasOutra ser e não como eras...
Machado de Assis
Crisálidas
Leia também:  Um Apólogo de Machado de Assis

* Conforme o original , sem menção na errata. A forma correta seria gloire

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top
Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade