Publicidade

sábado, 15 de setembro de 2018

9 Características de Bertoleza de O Cortiço, de Aluísio de Azevedo

O Cortiço de Aluísio de Azevedo apresenta personagens com caracteristicas fisicas e psicologicas marcantes. Bertoleza é considerada um personagem principal. Nesta postagem selecionamos nove passagens do livro que retratam algumas características dessa personagem. São informações importantes, para leitores e para estudantes de Ensino Médio, Vestibular e ENEM


Características de Bertoleza de O Cortiço, de Aluísio de Azevedo


9 Características de Bertoleza descritas por Aloísio Azevedo em O Cortiço

  • Bertoleza, crioula trintona, escrava de um velho cego residente em Juiz de Fora e amigada com um português que tinha uma carroça de mão e fazia fretes na cidade
  • Bertoleza também trabalhava forte; a sua quitanda era a mais bem afreguesada do bairro. De manhã vendia angu, e à noite peixe frito e iscas de fígado; pagava de jornal a seu dono vinte mil-réis por mês, e, apesar disso, tinha de parte quase que o necessário para a alforria.


  • cafuza, Bertoleza não queria sujeitar-se a negros e procurava instintivamente o homem numa raça superior à sua. 
  • Bertoleza representava agora ao lado de João Romão o papel tríplice de caixeiro, de criada e de amante.
  • Bertoleza, sempre suja e tisnada, sempre sem domingo nem dia santo, lá estava ao fogão, mexendo as panelas e enchendo os pratos.


  • Bertoleza é que continuava na cepa torta, sempre a mesma crioula suja, sempre atrapalhada de serviço, sem domingo nem dia santo; essa, em nada, em nada absolutamente, participava das novas regalias do amigo; pelo contrário, à medida que ele galgava posição social, a desgraçada fazia-se mais e mais escrava e rasteira. João Romão subia e ela ficava cá embaixo, abandonada como uma cavalgadura de que já não precisamos para continuar a viagem. Começou a cair em tristeza
  • Mas qual! o destino de Bertoleza fazia-se cada vez mais estrito e mais sombrio; pouco a pouco deixara totalmente de ser a amante do vendeiro, para ficar sendo só uma sua escrava. 
  • Bertoleza tinha sido enganada; que a sua carta de alforria era uma mentira, e que o seu amante, não tendo coragem para matá-la, restituía-a ao cativeiro. 
  •  Bertoleza então, erguendo-se com ímpeto de anta bravia, recuou de um salto e, antes que alguém conseguisse alcançá-la, já de um só golpe certeiro e fundo rasgara o ventre de lado a lado. 
Leia também:  Poesia e amor - Casimiro de Abreu

Aproveite o texto para responder questões sobre o livro o cortiço, fazer uma ficha de leitura do livro o cortiço, elaborar sua analise literaria do livro o cortiço ou um resumo. Analisar o contexto historia do livro o cortiço.


Fonte: 
BRASIL. O Cortiço. Portal Domínio Público Biblioteca Digital Desenvolvida em Software Livre. Disponível em <http://www.dominiopublico.gov.br/> 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top
Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade