Sinhá, de Machado de Assis.

SINHÁ

 (Num álbum – 1862)
O teu nome é como o óleo derramado.
 SALOMÃO — Cântico dos Cânticos

Nem o perfume que espira
A flor, pela tarde amena,
Nem a nota que suspira
Canto de saudade e pena
Nas brandas cordas da lira;
Nem o murmúrio da veia
Que abriu sulco pelo chão
Entre margens de alva areia,
Onde se mira e recreia
Rosa fechada em botão;

Nem o arrulho enternecido
Das pombas, nem do arvoredo
Esse amoroso arruído
Quando escuta algum segredo
Pela brisa repetido;
Nem esta saudade pura
Do canto do sabiá
Escondido na espessura,
Nada respira doçura
Como o teu nome, Sinhá! 

Machado de Assis
Crisálidas

Sinhá, de Machado de Assis.
A Caridade, de Machado de Assis
Poema STELLA, de Machado de Assis
MUSA CONSOLATRIX, de Machado de Assis

Sinhá, de Machado de Assis. Machado de Assis é considerado um dos grandes gênios da história da literatura, ao lado de autores como Dante, Shakespeare e Camões (Wikipedia)